Grupo Bitcoin Banco anuncia retomada de suas atividades

Nesta quinta-feira, 09 de janeiro, começou a circular por email e em aplicativos de mensagens um suposto comunicado do Grupo Bitcoin Banco (GBB) sobre o retorno de suas atividades. O CriptoFácil confirmou com a assessoria de imprensa do GBB a veracidade do comunicado.

Segundo o comunicado, em razão da recuperação judicial em curso do GBB, as plataformas de troca pertencentes ao grupo NegocieCoins e TemBTC serão divididas. Com a divisão, duas versões das plataformas serão apresentadas.

Seguindo a recuperação judicial

Ainda de acordo com o comunicado, uma plataforma originada pela divisão seguirá as regras da recuperação judicial, enquanto a outra será uma plataforma de troca por meio da qual negociações com criptomoedas e “adesão de novos produtos” serão realizadas livremente.

A empresa ainda ressalta que, para operar na nova plataforma de troca, será necessário realizar um novo cadastro. Contudo, o comunicado deixa mais perguntas do que respostas, uma vez que não é informado sobre os saldos pendentes dos clientes nas plataformas já existentes de NegocieCoins e TemBTC. Investidores não sabem se já iniciarão na nova plataforma com seus valores pendentes, que serão migrados, ou tais valores ficarão totalmente a mercê do andamento da recuperação judicial.

O CriptoFácil conversou com a assessoria de imprensa do GBB, que se limitou a informar que as iniciativas “são movimentos planejados a partir desse novo momento pautado pela recuperação judicial”, mas ainda sem detalhes. A assessoria complementou que, “no momento certo”, tais detalhes serão divulgados.

Abaixo, é possível conferir o comunicado em sua integralidade:

comunicado Grupo Bitcoin Banco

A história até aqui

O Grupo Bitcoin Banco começou a apresentar problemas nos saques de seus clientes em maio de 2019, após o fechamento de suas contas pelo Banco Plural e um suposto esquema de fraude cometido contra a empresa, que consistia na duplicidade de contas.

Desde então, usuários ficaram impossibilitados de sacar seus valores, retidos nas exchanges NegocieCoins e TemBTC – ambas pertencentes ao GBB. Em novembro, a empresa protocolou seu pedido de recuperação judicial, que foi aceito ao fim do mesmo mês. O efeito da recuperação judicial foi que credores não poderiam mais requerer livremente em sede judicial o pagamento dos valores que lhes são devidos, apenas no procedimento da recuperação judicial.

De acordo com especialistas, a recuperação judicial dificultará que credores exerçam seus direitos. No dia 31 de dezembro de 2019, venceu o prazo para que credores verificassem se seus saldos estavam corretamente informados no procedimento de recuperação judicial.

Leia também: Recuperação judicial do Grupo Bitcoin Banco é publicada e credores devem confirmar saldos

BTC LAST NEWS: Crupto Facil

Leave a Reply